O que é Twitter Bootstrap e porque usar em seu site

Web designers e programadores – podem ir ler para outro lado. Ao contrário da maioria dos textos sobre o Bootstrap, este artigo é para quem realmente USA o produto final criado por esse framework: empresas que possuem websites. Muitas delas já ouviram falar sobre tal plataforma e até mesmo a exigem. Outras, contudo, ainda sofrem com customizações sem sentido criadas em CSS sem padrão, e pagam o caro preço da falta de organização futuramente.

O Bootstrap não é o único framework CSS competente usado atualmente na construção de sites, templates e temas. Outros mais, como o ZURB Foundation ou o Bulma ganham espaço e possuem funcionalidades sensacionais. No entanto, em termos de popularidade e comunidade, o Bootstrap é, de longe, o benchmark para qualquer um que trabalhe com a construção de websites.

Bootstrap – para que serve?

Para perceber qual a utilidade do Bootstrap e outros frameworks no web design, primeiro precisa-se compreender como funciona um website, sob a óptica do usuário. Qualquer website utiliza, na sua visualização no browser, uma tríade de fatores:

  1. O HTML, uma linguagem de tags que fornece ao navegador uma espécie de esqueleto, com quadros e subquadros, que determinam a hierarquia dos elementos e do conteúdo que é inserido.
  2. O CSS, pois o esqueleto não tem qualquer formatação. O HTML apenas oferece a estrutura, mas é o CSS que determina onde cada elemento vai, em que cores e padrões será exibido, com que fontes, efeitos mínimos, tamanhos, etc. O CSS responde pela formatação do conteúdo e da estrutura da página.
  3. O Javascript, que processa os elementos, aplica efeitos, interage com o usuário e seu comportamento e responde por outras aplicações que podem ser desenvolvidas durante a exibição de um site – como a gravação de cookies no navegador, por exemplo, ou a validação de campos em um formulário de contacto ou pagamento.

Os frameworks, como o Bootstrap, compreendem uma série de “regras” padronizadas, que são capazes de organizar e formatar um site minimamente a partir do HTML fornecido, sem que haja necessidade de criar um CSS do zero. Os frameworks mais desenvolvidos inclusive já possuem também ferramentas integradas para validar formulários, ativar recursos a partir de cliques e ações do usuário e, literalmente, “dar vida” à formatação.

Elementos HTML como títulos, tabelas, botões, quadros, menus e imagens já possuem uma formatação base quando usa-se o Bootstrap. Além disso, frameworks desse tipo favorecem a distribuição desses elementos, usando uma lógica de grelha para ecrãs. Isso não apenas permite que designers coloquem os elementos exatamente onde pretendem, mas também automatiza as mudanças quando o ecrã muda de tamanho, ou o usuário abre o site em outro dispositivo, como o telemóvel.

Bootstrap 4

Lógica de grelhas – frameworks como o Bootstrap aplicam ao CSS uma lógica de divisão do ecrã,. Com isso, posicionar elementos em um site, independentemente das medidas do ecrã, torna~se algo mais rápido e obedece sempre a um mesmo padrão, podendo inclusive variar conforme o dispositivo de acesso ao site.

Bootstrap – sistema universal

Popular e usado no mundo inteiro, em qualquer linguagem, plataforma ou aplicação, mesmo em aplicativos e softwares, o Bootstrap é um sistema universal. Para o empresário, isso significa que qualquer que seja o profissional ou prestador de serviços de desenvolvimento ou web design que ele venha a contratar no futuro, saber-se-á lidar com seu site ou aplicação. Muitos empresários têm de recomeçar sites do zero em alguns casos, pois plataformas e programação utilizados por web designers anteriores são destituídos de qualquer organização ou lógica.

Claro, muitos web designers produzem peças excelentes, de forma muito organizada. Contudo, o uso do Bootstrap reduz monstruosamente as chances de que um site tenha de ser completamente descartado em modernizações ou atualizações.

O resumo da ópera? O Bootstrap dá liberdade ao proprietário do website. Ele pode contratar quem desejar, quando desejar e até mesmo estudar e lidar com o web design e montagem de páginas por si próprio, uma vez que o sistema do framework é universalmente e muito bem documentado.

Bootstrap – custos menores

Muitos web designers dirão o contrário, mas é mentira. Ao usar sistemas como o Bootstrap, o trabalho de um web designer é simplificado sobremaneira – e ele PODE cobrar mais barato. Isso não significa que ele o fará, mas implica que, ao saber que determinada proposta envolve esse framework, o empresário pode argumentar para chegar a valores mais justos e em linha com o emprego de tal tecnologia.

O custo de manutenção é igualmente menor – o Bootstrap é atualizado de forma constante e a cada versão ganha novas correções e funcionalidades, o que permite maior flexibilidade e até mesmo evolução dos websites, para acompanhar novas tendências tecnológicas e de design.

E, para terminar, o fato de um site ser criado em WordPress, Drupal, Opencart ou qualquer outra plataforma não implica, de maneira alguma, que o Bootstrap não possa ser utilizado. Os CMS, como os sistemas citados, são gestores de conteúdo e aplicações que funcionam em um alojamento ou servidor – eles “montam” de forma dinámica as páginas de um site e enviam para o navegador do usuário. Mas ali, no ponto final, o site continua a ser exibido em HTML, CSS e Javascript.

Em outras palavras: se vosso web designer diz que não pode utilizar o Bootstrap ou outra tecnologia de web design por conta da plataforma de criação ou outro motivo qualquer, sua empresa está a ser enganada…