Sites e apresentações – duas faces da mesma moeda

Faces da moeda

Aqueles sites tradicionais, no melhor estilo “corporativo”, com os menus e itens previsíveis do tipo “quem somos”, “nossa equipa”, “contacto” e o que mais o valha estão em baixa. Muitos argumentarão que eles ainda existem dessa forma, porém a grande verdade é que o comportamento do leitor e usuário da web mudou diametralmente. As redes sociais, nas quais o leitor “rola” timelines para baixo, somado à facilidade desse movimento no celular, fizeram com que as pessoas deixassem de procurar aqui e acolá em menus.

Se pensarmos de modo prático, os sites de referência hoje se parecem mais com apresentações ou folders do que com catálogo, livros ou diretórios empresariais. A razão para migrar para esse tipo de padrão é simples: as pessoas leem mais. Pense no seu próprio comportamento: se você clica num menu ou submenu no site de uma empresa e não encontra o que procurava, continua a clicar? Não… você desiste e procura alhures.



Muitas empresas ainda remam contra a maré, querendo meter tudo e mais um pouco em termos de “informação”. Porém, de nada adianta quando ninguém a está lendo…

O conceito “one page”

O conceito de “one page”, ou página única, imita ao mesmo tempo a lógica de cartas de venda e páginas de venda mais objetiva de produtos. Ao mesmo tempo, apropria-se da lógica de timeline das redes sociais. Basta lembrar: todas elas funcionam dessa forma, principalmente visando o leitor e usuário em telemóveis. Facebook, Twitter, Instagram, até mesmo o LinkedIn mudou para obedecer a tal lógica.

Mas, fugindo da tendência, pensemos agora como clientes. Não se trata apenas de moda, ou mesmo de aparência, e sim do modo com que lemos e percebemos a informação no meio online. Afinal, de contas:

  • Uma única página segue um roteiro, uma história… e é assim que absorvemos melhor a informação.
  • Uma única página dá destaque para alguns pontos… e, do modo antigo, dávamos destaque a tudo, ou seja, a nada.
  • Uma única página torna a interação mais rápida… e isso aponta para mais conversões.
  • Uma única página reduz o índice de bounce… e encoraja melhor o compartilhamento.
  • Uma única página beneficia a visualização em qualquer dispositivo… de telemóveis a televisores.

Deixando o leitor “descobrir” coisas

Claro, mais páginas e informações podem estar relacionadas a essa primeira página. Mas quer saber? O seu leitor precisa DESCOBRIR tudo isso. A sensação de recompensa quando estamos navegando e nos deparamos com um relatório, um ebook gratuito, um brinde… é muito maior.

Descoberta

Sites com muitas páginas e menus privam o leitor da descoberta.

Imagine-se contando uma história. A cada pergunta de seus ouvintes, você oferece um desdobramento, uma nova trama, introduz um personagem diferente. Assim tem de ser um site, e também uma apresentação. A sequência narrativa, o storytelling, são completamente apagados em websites muito subdivididos. O leitor, como resultado, perde o interesse ou frustra-se na primeira ocasião em que não encontra algo que esperava encontrar.

Rapidez, dinamismo e preço

Exato, quando você centra suas atenções em uma única página, é obrigado a priorizar. A prioridade leva a projetos e a um desenvolvimento mais rápidos. Sites podem ser montados, literalmente, em questão de dias. Do mesmo modo, é possível alterar completamente sua abordagem de forma simples (veremos mais adiante como isso pode ser útil em termos de marketing). Finalmente, tudo isso reduz os gastos com desenvolvimento e manutenção – sites tornam-se projetos baratos, e podem ser constantemente atualizados.

 

Seu site está defasado?

E os orçamentos estão nas alturas?

Fale connosco, clicando aqui ao lado. A MeuPPT é especializada em apresentações, e-books, mas também cria sites e landing pages rapidamente, sem criar mais dificuldades do que facilidades.

Contacto