GDPR Europeu – um bom motivo para atualizar seu Moodle

Moodle

Praticamente todas as formações em b-learning ou com ferramentas digitais em Portugal utilizam um mesmo sistema de CMS – o Moodle. O Moodle é um CMS exclusivamente desenvolvido para fins educacionais, portanto chamado de LMS (Learning Management System). À luz do novo GDPR europeu, que estabelece novos padrões de privacidade, o sistema também é alvo de consideráveis mudanças.

Para quem possui ou usa o Moodle em formações, uma atualização pode ser vital e inadiável.



Infelizmente para muitos, atualizar o sistema como o Moodle não é exatamente uma tarefa simples. Não basta, como ocorre com o WordPress ou o Joomla, carregar num botão e esperar por alguns segundos. É por essa e outras razões que geralmente indicamos outras soluções de CMS para a criação de formações online – contudo, se já está a operar em Moodle, pode encontrar informações de como proceder uma atualização na página oficial da aplicação.

Moodle e GDPR – histórico

Em 19 de Março, o Moodle teve lançadas as suas versões 3.3.5 e 3.4.2, preparadas para suportar a instalação de dois módulos adicionais à aplicação, desenvolvidos especificamente para implementar o GDPR europeu e dar-lhe respaldo. A versão 3.5 do Moodle, que foi lançada em maio de 2018, incorpora esses dois módulos e toda a funcionalidade requerida pelo GDPR.

Estes novos módulos contemplam a seguinte funcionalidade:

Processo de admissão de novos utilizadores, o que passa a incluir:

  • Exibir todas as políticas de privacidade necessárias;
  • Listar e solicitar consentimento para cada entidade que pode ter acesso aos dados pessoais;
  • Estabelecer o processo para o consentimento de menores de idade;
  • Obter e registar cada consentimento específico dado por cada utilizador;
  • Gerir atualizações e versões de todas as políticas.

Processo para cumprir os direitos de um utilizador em particular, incluindo:

  • Pedido para consultar toda a informação do utilizador no Moodle;
  • Pedido para apagar toda a informação pessoal identificável do Moodle;
  • Pedido para modificar a informação do utilizador;
  • Funcionalidade para administrador processar os pedidos anteriores
  • Permitir configurar período de retenção para os dados pessoais guardado pelas várias atividades.

Tudo excelente, mas com um único problema: atualizar. Como referimos, lidar com atualizações e modificações de módulos no Moodle não é simples como ocorre com outros sistemas. O resultado, como era de se esperar, será algum investimento para tal. Se a mudança de versões for muito agressiva – 2.X para 3.5, por exemplo – há imensos problemas que podem ocorrer e os próprios criadores do Moodle recomendam uma série de passos que envolve testes, backups e depuração de erros em PHP. Em outras palavras, haverá de contratar um informático para lidar com a questão.

Por outro lado, pode ser esta uma oportunidade para avaliar a migração para outro tipo de ferramenta de LMS, como colocamos em post anterior nosso.