Google Analytics – como anonimizar o IP dos usuários

Desde 25 de maio de 2010, o Google Analytics oferece o recurso _anonymizelp na biblioteca JavaScript ga.js e na biblioteca analytics.js para permitir que proprietários de websites solicitem que todos os endereços IP dos seus usuários sejam anonimizados no produto. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar os proprietários de sites a manter a conformidade com suas próprias políticas de privacidade ou, em alguns países, com as recomendações de autoridades locais de proteção de dados, que podem proibir o armazenamento de informações de endereços IP completos. A anonimização/mascaramento de IP ocorre assim que os dados são recebidos pela rede de coleta do Google Analytics, antes de qualquer armazenamento ou processamento.

Considerando que o IP pode ser considerado um dado pessoal à luz do regulamentado pelo RGPD, o recurso é algo simples de resolver e ajuda a manter a conformidade com o disposto na lei europeia. Mas como fazer a mudança?

Uma simples linha de código

É isso o que é preciso para acionar o novo recurso do Google Analytics. Independentemente do tipo de biblioteca que do Analytics que esteja a usar no seu website, o Google disponibilizou a ferramenta. São três as possibilidades de inclusão, conforme a biblioteca do Analytics que esteja a utilizar:

Biblioteca ga.js
ga(’set’, ‘anonymizeIp’, true);


Biblioteca analytics.js
ga(’set’, ‘anonymizeIp’, true);


Biblioteca gtag.js
gtag(’event’, ’your_event’, { ‘anonymize_ip’: true })

Cookies de Terceiros – Google Analytics

Praticamente todos os websites hoje no ar na internet utilizam os serviços do Google Analytics. Esse serviço da Google permite que, por meio da inclusão de um pequeno código no HTML de cada página, sejam rastreados dados referentes às visitas de usuários a essa página.

Apesar dos cookies gerados pelo Google Analytics serem fixados no próprio domínio do website, na maioria dos casos, a ferramenta é poderosa e permite que proprietários de websites e serviços online configurem o chamado “cross-domain tacking“. Isso significa que,  a partir de tal configuração, o código do serviço passa a poder acompanhar visitas e dados de outros domínios.

Muitos serviços online utilizam-se desse recurso para acompanhar dados de sites de clientes que instalam seus softwares, plugins, add-ons e scripts. Com isso, caso um website utilize-se de serviços como chats online, formulários renderizados ou sistemas de “push”, além de gerar cookies próprios do Google Analytics no browser do usuário também irão gerar cookies semelhantes para cada um desses serviços, ou seja, cookies de terceiros.

O próprio sistema de ajuda do Google Analytics mostra, nesta página, como aceder a tal recurso e iniciar o rastreamento de vários domínios a partir dos códigos fornecidos.

Isso faz com que websites que possuem muitas ferramentas e funcionalidades fornecidas por terceiros gerem, no navegador de cada usuários, múltiplos cookies do Google Analytics, um ou mais para cada ferramenta usada. Por essa razão, quando olhamos para os cookies configurados por um site em nosso navegador, podemos encontrar vários domínios distintos e nomes de cookies que se repetem, como _ga, _gid, _utma e outros mais.